quarta-feira, 1 de abril de 2015

O CAMINHO A SEGUIR - Literatura.

O CAMINHO É O LIVRO NA MÃO

   
   Uma nova caminhada é como um novo amanhecer, é sempre acreditar, seja por qual caminho seguir, temos que nos dedicar e se entregar ao assunto, aqui andamos pela estrada da literatura marginal, mas no geral literário, pois acredito que o único caminho para termos um mundo melhor para se viver, vem por intermédio da leitura, e sem esquecer-se da cultura e da educação, aqui reforçarei a ideia de que a literatura nos abre muitas portas.
   Oportunidades que muitos achavam não ter, ou que já estava perdida, se reencontram com o encontro de ler um bom livro, ou um livro que lhe agrade, que mencione as palavras que você quer ouvir, ou às vezes palavras que você desconhecia, e meio as essas palavras, você encontra aquilo que te anima, te inspira para o dia-a-dia o seu cotidiano.
Pois nos livros existem coisas semelhantes a que praticamos no decorrer de nossa vida, e todos sabem que o livro nos traz conhecimentos. E muito já foi dito que o conhecimento é uma coisa valiosa, tem um valor supremo, e que esse valor ninguém nos tira, não como você ter um bem material e dar muito valor a ele, sem dúvida temos que dar valor nas coisas que temos, mas nesses ditos coisas materiais alguém pode nos tirar, mas o conhecimento jamais nos é tirado; por tanto, devemos sim incentivar à leitura principalmente para nossas crianças, mas também incentivar jovens e adultos a terem o gosto pela leitura.
   A proposta aqui é levar a literatura seja ela qual for, mas com um enfoque maior na “Literatura Marginal”, pois tem-se vários significados para este adjetivo “marginal” em se tratando de literatura, pois estamos a margens dos grandes centros, escrevendo nos nossos humildes abrigos nas periferias, e também estamos as margens das grande editoras, da mídia e da academia literária, e tantos outros por menores que define essa literatura marginal, também conhecida como literatura marginal periférica divergente, literatura de rua e literatura de periferia.
  Como se podem observar, nas palavras anteriores mencionamos um monte de nomenclaturas para a literatura marginal, mas, no entanto tudo é literatura, e essa é a abertura o caminho para literatura; 
    A leitura podemos entender, o porque existem leis para a cidadania, entender o que é segurança, saúde, moradia, educação, economia e transporte, podemos entender a política de um país, podemos participar de debates, eventos e exposições com mais embasamento, das nossas ideias e todos nós qualquer individuo tem esse direito, o direito aos livros, muitas ações estão sendo feitas para se ter uma lei para a literatura como:
    Reconhecer a literatura como um direito humano da natureza, essencialmente formativa que tem potencial para promover inclusão, integração, reflexão, critica, fantasia e inventividade, além de prover um conhecimento profundo do mundo, e ou da visão de mundo do ser humano.
Incentivar a imaginação, a criação literária e sua difusão e valorizar a educação literária.
   Ressaltar o papel da literatura na formação da identidade humana desde a primeira infância.
    Promover o direito à literatura para todos, sem nenhum, tipo de exceção ou exclusão, e ampliar o acesso à literatura por meio de ações concretas e sistemáticas, e por fim, sabendo que ainda tem muito que ser feito. Reconhecer a que a tradição oral expressa um acervo de conhecimentos adquiridos pela coletividade.


“PORQUE A NOSSA ARMA É O LIVRO NA MÃO”

Nenhum comentário: